Sentidos Urbanos: Patrimônio e Cidadania

Objetivo: 

Promover o intercâmbio de experiências entre as Casas do Patrimônio de Ouro Preto/MG e do Vale do Ribeira/SP para aplicação do projeto “Sentidos Urbanos: Patrimônio e Cidadania em Iguape. Esta ação tem como objetivos principais: a) capacitar monitores para que possam aplicar o projeto “Sentidos Urbanos” localmente, promovendo uma sensibilização continuada da população; b) coletar dados obtidos nos roteiros como forma de subsidiar o trabalho de normatização do Conjunto Histórico e Paisagístico de Iguape – SP, através da sensibilização, instrução e inclusão da população neste processo regulador.

Justificativa: 

O Centro Histórico de Iguape foi tombado em dezembro de 2009. Neste momento pós-tombamento, a Superintendência do Iphan em São Paulo tem dois objetivos principais para a cidade: zelar por este bem tombado, promovendo a manutenção e a valorização do conjunto protegido, e difundir ações voltadas à educação da população no que concerne às questões que envolvem a preservação do patrimônio cultural.

O projeto “Sentidos Urbanos”, idealizado e desenvolvido em Ouro Preto/MG é uma parceria do IPHAN/MG, através do Escritório Técnico de Ouro Preto, a FAOP – Fundação de Arte de Ouro Preto, e a UFOP – Universidade Federal de Ouro Preto, e leva estudantes e a comunidade a sentir literalmente o patrimônio. O Projeto sugere uma interpretação do patrimônio cultural por meio da percepção sensorial do ambiente; faz uso dos sentidos – audição, visão, olfato e tato – como meio de explorar caminhos cotidianos, aguçando a consciência temporal e espacial, transformando espaços indiferenciados em lugares onde as pessoas se reconheçam, ampliando a percepção dos ambientes e construindo valores necessários à preservação do patrimônio cultural. Esse programa de sensibilização da comunidade local aplica a metodologia de roteiros sensoriais. Um de seus principais objetivos é qualificar o diálogo entre cidadãos e instituições de proteção do patrimônio cultural edificado, humano e imaterial, provocando novos olhares sobre a cidade.

A experiência do Projeto Sentidos Urbanos se apresenta como um instrumento em potencial para sensibilizar quanto à necessidade de preservação do sítio tombado de Iguape, promovendo o entendimento da necessidade de uma regulamentação que preserve e valorize o patrimônio local. Ademais, a própria população, conhecedora do sítio em que vive, por meio deste metodologia, tem a oportunidade de se transformar em agente no processo de regulamentação do território.

Estratégia de Implementação: 

O IPHAN/SP pretende fazer uso da metodologia dos Sentidos Urbanos e replicá-la em Iguape, capacitando monitores locais. Serão realizadas duas oficinas para capacitação de monitores, com uma carga horária de 30 (trinta) horas. A construção dos roteiros sensoriais terá como pano de fundo a sensibilização para a questão da regulamentação para intervenções no sítio tombado, trabalhando a valorização do patrimônio local através do olhar e do sentir. A idéia é avaliar, conjuntamente, quais as características urbanas e arquitetônicas que devem ser mantidas, estabelecendo diretrizes de valorização do sítio.

Após a capacitação, os monitores farão os roteiros sensoriais com a população – contemplando estudantes do ensino médio, representantes do governo municipal e estadual, representantes da sociedade civil organizada e demais instituições públicas. Ao final de cada roteiro haverá um formulário de avaliação individual para sugestão e indicação de diretrizes que devem ser contempladas no processo de normatização do conjunto tombado de Iguape.

Monitoramento – A Casa do Patrimônio fará o monitoramento continuado do projeto “Sentidos Urbanos”, enviando lista dos participantes e as avaliações individuais feitas ao final do percurso.

 

Anúncios
Categorias: Projetos | 3 Comentários

Navegação de Posts

3 opiniões sobre “Sentidos Urbanos: Patrimônio e Cidadania

  1. carlos Junior

    Olha só!!!! Nosso BLOG!
    Tô curtindo!

    Parabéns

  2. Muito interessante essa iniciativa. Parabéns.

  3. Os bens culturais falam e é necessário aprender a ouvi-los. Muito boa a iniciativa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: